Chuva e temperaturas crescentes podem favorecer a proliferação de pulgas

Desde o início da primavera, no final de setembro, entramos em uma época favorável à proliferação de pulgas. Com o aumento das temperaturas e o aumento das chuvas, o ciclo de vida desses parasitas é acelerado e os casulos, que poderiam estar “adormecidos”, encontram condições adequadas para eclodir e liberar novas pulgas que infestam o ambiente.

“Cada pulga pode colocar até 2.000 ovos em sua vida. Esses ovos caem no ambiente onde liberam as larvas que amadurecem e formam casulos chamados pupas, onde a pulga jovem é protegida e amadurece. Em condições adversas, como clima mais frio e seco ou ausência de hospedeiro, as pupas permanecem viáveis ​​por vários meses no ambiente aguardando o momento certo para eclodir”, explica Karin Botteon, veterinária e gerente técnica da Boehringer Ingelheim. “O ambiente mais favorável à proliferação varia em temperaturas entre 25 e 30°C e umidade em torno de 85%, exatamente o que vivenciamos na maior parte do país no final e início do ano.”

coceira
Os animais podem ficar expostos a pulgas e carrapatos em diversos lugares, como parques, passeios nas ruas, hotéis de animais, pet shops e até em casa (Foto: Reprodução)

É importante estar atento à presença de ectoparasitas em ambientes que favorecem sua multiplicação, mas isso não significa que não sejam encontrados durante todo o ano, principalmente em um país de clima tropical como o Brasil. Alguns dos principais sinais em animais infestados pelo parasita são, além da coceira, a presença de pontinhos pretos no pelo que parecem areia fina ou borra de café – os resíduos da pulga -, além de pontinhos brancos, quase invisíveis ao olho. a olho nu, no chão, nas camas ou nos móveis onde os animais costumam ficar – são os ovos, que são depositados no animal e escorregam do pelo e se espalham pelo ambiente.

Karin ressalta que a espécie mais comum de pulga, chamada Ctenocephalides felis, afeta igualmente cães e gatos, e embora não seja comum as pulgas pularem de um animal para outro em casas com mais de um animal de estimação, sua capacidade reprodutiva é muito alta e infesta o ambiente rapidamente. Assim, novas pulgas eclodidas logo procuram novos hospedeiros para se alimentar, infestando todos os animais da casa. “Em espaços onde humanos e animais coexistem, eles geralmente preferem animais de estimação: eles têm sangue mais quente do que nós”, continua ela. “No entanto, uma das formas de identificar a presença de parasitas no ambiente é nas picadas que eles deixam em humanos, o que pode ocorrer principalmente em casos de infestações graves. Com coceira intensa e vermelhidão, geralmente estão localizados onde seguramos os animais, como no colo ou, se você dorme com animais de estimação na cama, nas pernas e tornozelos. Mais um exemplo que mostra como nossa saúde está entrelaçada com a de nossos animais.”

Os animais podem ser expostos a pulgas e carrapatos em diversos lugares, como parques, passeios de rua, hotéis para animais de estimação, pet shops e até mesmo em casa. Locais com vários animais de estimação são mais propensos a infestações de parasitas, no entanto, também podemos trazê-los de fora para dentro de nossas casas através de sapatos, bolsas ou até mesmo no corpo.

“Parasitas podem causar impactos que vão além da coceira na saúde dos nossos animais”, alerta Karin. “Além do desconforto causado, a presença desses insetos em cães e gatos pode causar diversas doenças. Alguns exemplos são o DAPE, que é a dermatite alérgica à picada de ectoparasitas, transmissão de vermes e anemia, principalmente em filhotes muito jovens.”

Neste campo, e considerando os riscos para a saúde, vale a máxima “melhor prevenir do que remediar”. Portanto, é imprescindível que haja um tratamento contínuo para combater os ectoparasitos em animais de companhia, bem como manter o ambiente em que vivem, normalmente dentro de casa com familiares, devidamente desinfetados. Dessa forma, tanto o ambiente animal quanto o familiar ficam livres desses parasitas.

Já existem diversos produtos recomendados para pets que auxiliam no controle de pulgas e carrapatos. Esses produtos os eliminam rapidamente e o tratamento adequado e contínuo com tais soluções pode ajudar a eliminá-los também do meio ambiente. É fundamental que todos os animais da casa passem por tratamentos simultâneos e que também sejam utilizados produtos específicos para o meio ambiente.

Uma marca bastante reconhecida pelos tutores é a Frontline, com administração mensal. São três produtos diferentes, dois em forma de pipeta e um em spray, para cães e gatos. O spray pode ser usado em pets a partir de 2 dias de idade e uma das pipetas, Frontline Plus, ainda contém (S-)metopreno que auxilia no controle ambiental, pois elimina ovos e larvas de pulgas, interrompendo seu ciclo de desenvolvimento. O gerente de marca da linha de frente no Brasil, Lucas Iguchi, explica: “Nossos ectoparasiticidas matam pulgas e carrapatos agindo no sistema nervoso desses parasitas. O produto é depositado na camada de gordura da pele e nas glândulas sebáceas do pet, sendo continuamente redistribuído pela pele. Uma vez que os parasitas entram em contato com esse ativo, sofrem seu efeito e morrem.”

As drogas atuam exclusivamente sobre os parasitas de forma rápida e eficaz, para que novas infestações não se instalem. Com o tratamento adequado do ambiente, as pulgas também vão desaparecendo gradualmente do espaço. Tomando esses cuidados, toda a casa fica mais saudável, e garantimos a segurança de nossos animais de estimação para uma primavera e um verão floridos e ensolarados, sem coceiras e doenças.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Dogs&Cats VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Zootecnista e treinador canino fala sobre como manter uma boa convivência entre cães e gatos

CRMV-SP promove a 6ª Semana do Veterinário, de 16 a 18 de novembro

Royal Canin lança ração focada na primeira fase da vida de gatinhos e cães

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*