Confira 5 dicas para preparar uma lancheira para uma criança com diabetes

Desde cedo, o ambiente social incentiva o consumo de doces e alimentos ricos em gorduras saturadas. Em excesso, uma dieta baseada em alimentos com poucos nutrientes pode causar problemas de obesidade ou outras doenças. No caso de crianças com diabetes, principalmente em idade escolar, é um desafio manter uma alimentação equilibrada.

A atenção da família deve ser redobrada quando a criança apresenta a condição. É essencial que haja sempre uma relação da insulina com o consumo de carboidratos ao longo do dia, para que não haja problema com o pequeno paciente.

“Se a iguaria tem carboidrato, é preciso ter uma cobertura de insulina para que não promova hiperglicemia. O consumo de doces deve ser a exceção e não a regra”, explica a nutricionista do Instituto Correndo pelo Diabetes (ICPD), Maristela Strufaldi.

Para ajudar os pais na missão de montar uma marmita, a especialista dá dicas que se encaixam no dia a dia. Ela orienta que a alimentação é uma aliada na busca de uma rotina saudável para a criança.

Dicas sobre como fazer uma lancheira para crianças com diabetes

1. Prefira carboidratos de absorção lenta

A merenda escolar deve ser saudável e rica em fontes de carboidratos de absorção lenta, como fibras. Além disso, a bebida não pode ser açucarada e os pais devem sempre preferir a fruta ao suco. Água e chá gelado sem adição de açúcar também são ótimos com alimentos.

2. Estimular o consumo de alimentos energéticos

Recomenda-se colocar na lancheira alimentos energéticos como pães, cereais e biscoitos. Nesse caso, os grãos integrais são ainda mais interessantes, pois são ricos em fibras, responsáveis ​​por reduzir a taxa de absorção de carboidratos.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade parceira da Metrópoles 3
Publicidade parceira da Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5

0

3. Introduzir proteína

A introdução diária de alimentos com fonte de proteína, como queijo, leite, iogurte, patê de atum ou frango e grão de bico é essencial. Frutas e legumes também devem fazer parte da lancheira. Os pais podem cortar bastões de cenouras, pepinos ou alguma fruta para torná-lo mais interessante para a criança.

4. Personalize o menu

Vale lembrar que cada cardápio deve ser personalizado, pois depende do horário do lanche da criança e da quantidade de insulina a ser aplicada. A injeção do hormônio deve variar de acordo com a quantidade de carboidrato ingerido.

5. Evite o jejum

Para prevenir ataques de hiperglicemia, é necessário seguir as orientações médicas e monitorar a insulina de acordo com o alimento ingerido. As crianças com diabetes devem evitar ficar muito tempo sem comer, mantendo uma fração alimentar.

Contagem de carboidratos

UMA A contagem de carboidratos é uma ferramenta nutricional que contribui para o controle glicêmico e proporciona melhor flexibilidade alimentar. Consiste em ajustar a administração de insulina de absorção rápida de acordo com a quantidade de carboidrato consumida.

Por exemplo, para cada 15 gramas de carboidrato consumido, uma pessoa precisa de uma unidade de insulina rápida ou ultrarrápida, para “cobrir” o carboidrato ingerido.

É importante que haja uma abordagem multidisciplinar com acompanhamento de um profissional de saúde para manter a consistência e o aprendizado em relação à alimentação. A atividade física também é essencial e deve ser planejada em conjunto com alimentação, insulinoterapia e ser compatível com a idade da criança.

Receba notícias de metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*