Exercícios físicos e mentais e boa alimentação proporcionam melhor qualidade de vida à população idosa

Foto: Divulgação

Hábitos como atividade física e boa alimentação devem ser seguidos ao longo da vida, inclusive na velhice. Os idosos, ou seja, pessoas com mais de 60 anos, correspondem a 14,3% da população brasileira, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com medidas simples, esse público pode se manter ativo e saudável.

Atividade física

É comum as pessoas apresentarem limitações físicas devido ao avanço da idade, mas a prática regular de atividade física pode contribuir para o melhor desenvolvimento da rotina, com mais autonomia dos indivíduos. Isso ocorre porque o equilíbrio e a postura melhoram, as dores nas articulações e nas costas são reduzidas e os músculos e ossos são fortalecidos. A atividade física ajuda a prevenir o sobrepeso e a obesidade, manter um peso saudável, além de evitar diabetes, colesterol “ruim” e pressão alta, diminuindo o risco de doenças cardíacas.

A prática de atividade física pode ser feita no tempo livre (como participar de programas orientados de musculação, hidroginástica, alongamento ou dança), no deslocamento (como caminhar até o mercado ou feira), no trabalho (como usar as escadas do elevador) e tarefas domésticas (como varrer, jardinar ou passear com o animal de estimação).

Em caso de lesão, desconforto anormal (como dor na região do peito ou tontura) ou qualquer doença crônica, como pressão alta, diabetes ou asma, consulte um profissional de saúde ou a Unidade Básica de Saúde mais próxima.

de acordo com Guia de Atividade Física para a População Brasileiraa prática de atividades é recomendada de forma natural e confortável, nunca impondo, respeitando a preferência, perfil e capacidade física de cada indivíduo.

exercícios para a mente

O cérebro é como um músculo. A realização de atividades cognitivas é importante para o seu desenvolvimento. Confira algumas dicas para exercitar a memória, percepção, atenção e linguagem:

  • Faça palavras cruzadas;
  • Faça uma lista de compras e guarde-a. Tente comprar tudo sem consultar a lista e depois compare para ver se falta alguma coisa;
  • Manter hábitos afetivos saudáveis, ou seja, namorar, curtir amigos e familiares;
  • Participar de jogos que envolvam raciocínio;
  • Leia pelo menos uma manchete de jornal diariamente e comente com alguém;
  • Mantenha-se ativo fazendo trabalhos manuais, visitas, cursos e outros;
  • Anote tudo o que for importante em um caderno ou diário para não esquecer;
  • Tente não se isolar. A solidão pode levar ao desânimo e à depressão;
  • Participe de grupos sociais, clubes ou grupos universitários.

Alimentação saudável

Na velhice, as alterações fisiológicas, psicológicas e sociais, assim como a ocorrência de doenças crônicas, uso de medicamentos, dificuldades na alimentação e alterações na mobilidade, exercem grande influência no estado nutricional.

Nesse sentido, uma alimentação adequada e saudável é essencial para a promoção da qualidade de vida e prevenção de doenças como obesidade, hipertensão, doenças cardíacas, diabetes e câncer. Conheça algumas dicas:

  • Consuma diariamente alimentos in natura ou minimamente processados, como frutas, verduras, legumes e grãos, principalmente os integrais. Evite o excesso de sal e temperos industrializados, dando preferência aos temperos naturais como alho, cebola e ervas aromáticas como salsa, manjericão e coentro;
  • Beba água regularmente, mesmo que não esteja com sede. Esse hábito é essencial para evitar desidratação, constipação (intestino constipado) e complicações urinárias, situações que podem ser comuns em idosos;
  • Se tiver dificuldade para mastigar, consuma preparações mais moles ou pastosas à base de alimentos in natura ou minimamente processados;
  • Evite o consumo de bebidas açucaradas, como refrigerante, suco de caixinha, suco em pó e refrigerantes;
  • Hambúrgueres e/ou salsichas (linguiça, linguiça, presunto, mortadela, salame), macarrão instantâneo, salgadinhos embalados ou biscoitos salgados ou recheados, doces ou guloseimas são alimentos ultraprocessados ​​e devem ser evitados;
  • Evite substituir as refeições principais por lanches;
  • Sempre que possível, alimente-se em local apropriado, acompanhado e com atenção, evitando se envolver em outras atividades, como assistir televisão ou usar aparelhos eletrônicos;
  • A pessoa idosa pode apresentar perda de apetite. Por isso, é importante valorizar, preferencialmente, as três principais refeições do dia (café da manhã, almoço e jantar).

Série: longevidade

Durante a primeira semana de outubro, em razão do Dia Internacional do Idoso e do Dia Nacional do Idoso, o Ministério da Saúde publica uma série de conteúdos sobre longevidade e envelhecimento saudável.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*