Nutricionistas indicam um elemento fundamental para garantir a adesão à dieta

Manter a dieta é uma tarefa difícil para muitas pessoas que querem perder peso. A imposição de restrições alimentares, cortando certos tipos de alimentos do cardápio, tende a desencorajar a adesão ao plano de emagrecimento. Para facilitar um pouco o processo, a dica é simples: introduzir pequenas recompensas diárias pode ajudar a motivar um indivíduo a seguir o plano alimentar.

O nutricionista Bruno Redondo destaca que um pedaço de chocolate, como outras sobremesas, é o elemento chave cumprir as recomendações de um plano de alimentação saudável. Ele comenta que doces, em pequenas quantidades, não proporcionam ganho de peso — pelo contrário, facilitam garantir a perda de peso correta e sem dor.

“Muitas pessoas gostam de comer chocolate ou doce de leite depois do almoço, por exemplo. Colocar essas recompensas na dieta vai estimular o paciente a continuar seguindo corretamente as recomendações do nutricionista”, explica o especialista.

Além de evitar a compulsão alimentar durante as refeições livres (que podem acabar estragando a alimentação seguida durante a semana), o chocolate participa da síntese da melatonina, hormônio que naturalmente induz o sono. Quando a sobremesa é consumida com moderação, ela contribui para uma boa noite de sono, que é um fator importante na luta contra o diabetes e a obesidadepor exemplo.

“O chocolate tem em sua composição um aminoácido chamado triptofano. Por meio dele, o corpo produz a serotonina, hormônio do prazer e do bem-estar que, no metabolismo, participa da síntese da melatonina e, assim, ajuda a induzir o sono”, explica o nutricionista Gabriel Feijó.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade parceira da Metrópoles 3
Publicidade parceira da Metrópoles 4

0

Quando o chocolate é incluído em sua dieta diária, também pode ajudar na sua rotina de exercícios. Redondo comenta que o doce pode ser ingerido antes ou depois do treino, ajudando na produção de energia e na recuperação muscular. A nutricionista ensina que incluir chocolate na rotina, mantendo uma alimentação saudável e atividade física regular, também pode ajudar a reduzir os riscos de doenças cardíacas.

“O chocolate possui compostos bioativos anti-inflamatórios e antioxidantes que são benéficos para a saúde, principalmente para o coração. O doce protege as células contra os efeitos dos radicais livres produzidos pelo organismo e aumenta a função do óxido nítrico no organismo, reduzindo a pressão arterial e aumentando o fluxo vascular”, afirma.

Alimentação consciente

Nutricionistas incentivam a adesão à alimentação consciente, que se traduz como consumo consciente de alimentos. Especialistas apontam que comer dessa forma não é ser compulsivo, é saborear a comida ao invés de evitá-la. Para Redondo, em vez de restringir a alimentação, o ideal é comer um pouco de tudo com moderação.

“Você pode estabelecer uma rotina em que diga a si mesmo que não precisa de uma barra de chocolate para ser feliz: quatro quadrados depois do almoço é um bom tamanho. Quando você vai ver um filme, não precisa comer uma caixa inteira de chocolates, pode comer três e vai ficar bem. Você passa a valorizar mais o efeito de comer do que o sabor em si, e evita as consequências de comer demais, como diarreia, refluxo e ganho de peso”, comenta.

Os dois especialistas ressaltam que uma alimentação saudável contém todos os tipos de alimentos, e cortar doces, por exemplo, pode ter o efeito contrário. Segundo Feijó, do ponto de vista calórico, o chocolate não prejudica a dieta, pois a quantidade saudável recomendada por dia, 30 g, tem, em média, apenas 160 calorias.

escolhas certas

O chocolate amargo é o mais indicado para a alimentação diária, pois quanto maior o percentual de cacau, mais amargo e menos açúcar o doce tem, além de ter menos gordura. Apesar disso, outros tipos de chocolate, como ao leite e branco, são liberados em pequenas quantidades diárias.

Feijó ressalta que na nutrição da vida real, a inclusão está mais presente do que a restrição, desde que seja um acréscimo inteligente e que faça sentido na rotina do paciente. Ele indica que o melhor momento para incluir o chocolate na alimentação é após o almoço, devido ao equilíbrio nutricional. De acordo com a nutricionista, adicionar o doce a um prato básico de alimentação com legumes, arroz, feijão e carne ou ovos, ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue.

Receba notícias de metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*