Prévia do Benfica PSG Roger Schmidt

Visualizar

Roger Schmidt fez esta terça-feira, 4 de outubro, a antevisão do Benfica-PSG, jogo da 3. Em declarações a BTV e em conferência de imprensa, o treinador referiu que espera um encontro difícil com o adversário francês, mas acredita que um Benfica focado e ao máximo em todos os aspetos pode vencer o jogo.

O PSG é um dos grandes candidatos à vitória nesta edição da Liga dos Campeões, mas neste momento, e com dois jogos disputados, divide a liderança do grupo H com Glorioso. Roger Schmidt explicou que, diante de uma equipe com “jogadores de classe mundial”os encarnados têm de se conectar com os adeptos no melhor ambiente do Estádio e “jogar Benfica” para conseguir vencer.

Roger Schmidt

O perfil do PSG muda alguma coisa na preparação do Benfica para este jogo?

São necessários ajustes para cada oponente, temos que encontrar um equilíbrio. Temos sempre que respeitar a qualidade e os pontos fortes da equipa que enfrentamos. Neste caso, fica claro que há muita qualidade individual na equipe, não só no ataque, mas também na defesa. Eles têm jogadores de classe mundial em todas as posições em campo, temos que respeitar isso. No entanto, a minha convicção diz-me que para fazer um bom jogo temos de acreditar em nós próprios. A minha filosofia não é apenas ajustar-me ao adversário. Amanhã [quarta-feira], para fazer um bom jogo, temos que ter confiança no nosso trabalho. Temos que fazer ajustes, mas também temos que jogar contra o Benfica.

Como você acha que essa “batalha” vai se desenrolar, especialmente no meio-campo?

Será um jogo muito interessante, com muita intensidade em todo o campo. Serão fases diferentes, com ritmos alternados, dependendo também de quem marcar primeiro, o que também pode ser decisivo para o desenrolar da partida. No meio-campo temos que controlar o jogo com boa posse de bola, precisamos mostrar a qualidade que temos na posse de bola. Vai ser um jogo difícil, estamos preparados para isso e estamos ansiosos por isso, porque estes são os jogos que queremos jogar quando jogarmos na Liga dos Campeões. Com duas vitórias nos dois primeiros jogos ganhamos confiança e sabemos que podemos chegar à fase a eliminar. Jogar em casa na fase de grupos é sempre uma boa oportunidade para trabalhar a nossa situação no grupo. Queremos mostrar aos nossos fãs no estádio que acreditamos em nós desde o primeiro segundo. Queremos deixar os torcedores felizes e vencer a partida.

Roger Schmidt

“Vamos defrontar uma das melhores equipas do mundo, e num único jogo tudo pode acontecer”

Roger Schmidt

Os jogos do PSG na liga francesa te mostraram alguma forma de “ferir” seu adversário na defesa?

Analisamos todos os jogos, não apenas os do campeonato francês. Também analisamos os jogos com Juventus e Maccabi, onde eles foram bem e venceram, mas também tiveram alguns problemas. Temos algumas ideias, temos que colocá-las em prática.

O desempenho da equipa no último jogo em Guimarães fez com que repensasse a sua estratégia para este jogo frente ao PSG?

É outro jogo, diferente, não dá para comparar. Não estivemos no nosso melhor contra o Vitória, especialmente no que diz respeito à criatividade e à criação de oportunidades claras de golo. Por outro lado, também defendemos muito bem, eles não tiveram nenhuma chance de marcar, isso é algo positivo que podemos tirar deste jogo. Amanhã [quarta-feira] é um jogo diferente. O PSG é um time de ataque, vai tentar jogar na frente, vai ter mais espaços, o jogo vai ter mais intensidade, um ritmo alto… Não dá para comparar o jogo de sábado passado com amanhã [quarta-feira].

Roger Schmidt

“Queremos mostrar aos nossos adeptos no Estádio que acreditamos em nós desde o primeiro segundo. Queremos fazê-los felizes e ganhar o jogo”

Perante um adversário que tem uma frente de ataque com Mbappé, Neymar e Messi, está um treinador tentado a reforçar o setor mais defensivo, ou terá o Benfica a mesma imagem que teve nos outros 14 jogos oficiais?

Sempre temos que nos ajustar, principalmente quando enfrentamos uma equipe com tanta qualidade no ataque. Eles também são ótimos em jogar um com o outro. A chave não é ter mais jogadores na linha defensiva, mas jogar bem taticamente, com sabedoria, para fazer um jogo de alta qualidade. É preciso ler bem os momentos um a um em espaços amplos. Defendê-los nessas situações é muito difícil; então temos que ser muito bons em balanceamento tático. Precisamos jogar apoiados, com muitos jogadores perto da bola. Na minha opinião esta é a chave. Temos que nos ajustar, mas também temos que acreditar no nosso trabalho. Esta época já demonstrámos que jogamos um bom futebol ofensivo, mas também muito fiáveis ​​na defesa. Não sofremos muitos golos, nem demos muitas oportunidades aos nossos adversários. Amanhã [quarta-feira] provavelmente diferirão, eles criarão mais oportunidades. Precisamos que nosso goleiro esteja em boa forma, temos que vencer jogos difíceis, mas podemos contar com nossa qualidade tática.

A parte psicológica é muito importante nesses jogos. A motivação dos jogadores, com o apoio do público, pode fazer a diferença contra um time com grandes nomes do futebol mundial?

Sim, a parte mental é sempre muito importante, mas acho que não é necessário motivar os jogadores para este jogo, eles motivam-se. No entanto, a motivação por si só não é suficiente. Pode haver espaço para motivação adicional e temos que aproveitar esse extra para estar no nosso máximo taticamente para influenciar positivamente o jogo. Temos que usar isso um pouco mais para jogar sempre no nível tático máximo. A motivação por si só não é suficiente, vamos precisar de tudo. Com os nossos adeptos no Estádio, sentir-nos-emos ligados a eles e os jogadores sentirão a ambição de fazer um grande jogo e lutar pelos três pontos. Vamos enfrentar um dos maiores times do futebol mundial, e em um único jogo tudo pode acontecer. Faz parte, por isso o futebol é tão interessante e amanhã [quarta-feira] vamos tentar demonstrar isso.

Roger Schmidt

O que o Benfica fizer contra o PSG neste jogo vai determinar o que será a Liga dos Campeões para o Clube?

O jogo não é decisivo. Não podemos nos classificar para as oitavas de final amanhã [quarta-feira], mas depois de duas vitórias faltam apenas quatro jogos, então estamos em uma boa situação. Mesmo assim, a classificação para a fase a eliminar é difícil, porque os nossos rivais têm muita qualidade. Nosso foco é aproveitar cada jogo para mostrar que queremos continuar nesta competição depois do Natal. Esse é o nosso grande objetivo. É difícil, mas também os desafios que virão serão. Vai ser uma luta até o fim e cada partida é uma oportunidade de ganhar vantagem. Esse é o objetivo deste jogo.

Enzo chegou da liga argentina no verão e rapidamente se juntou à equipe. O que ele dá ao coletivo?

Na pré-temporada, quando chegou, treinou com a equipe e disputou o primeiro amistoso. Ele integrou sem problemas. Ele é um jogador muito completo, bom com a bola, tem um bom posicionamento, é muito criativo, pode marcar e dar o ritmo do jogo. Sem a bola, ele sabe ler o jogo e recuperar as bolas. Ele é um jogador muito jovem, mas muito completo. Se continuar assim, terá um futuro extraordinário no Benfica.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*