Rinoplastia pode resolver problemas estéticos e funcionais

Satisfação com selfies, presença em reuniões online, necessidade de respirar melhor: são vários os motivos para procurar a rinoplastia. O procedimento estético facial mais realizado no Brasil, segundo os dados mais recentes da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, vive um pico em sua busca após a pandemia de covid-19, graças à superexposição do rosto a câmeras de diferentes qualidades , sob diferentes luminosidades. Mas a decisão de operar o nariz vai além da questão estética e pode oferecer mais qualidade de vida a quem o utiliza.

Hoje, existem dois tipos de cirurgia plástica do nariz, que diferem na forma de acesso a essa região: aberta (exorrinoplastia) e fechada (endonasal). Além do motivo estético e funcional, também pode ser feito para reparo ou revisão de algum procedimento anterior. Aberto ou fechado, a diferença entre os dois também depende do objetivo a ser alcançado.

Na rinoplastia fechada, o procedimento é realizado sem abrir o nariz, com todas as incisões feitas dentro dele, acessando pelas narinas, sem cortes externos. Assim, o tempo cirúrgico é menor, mas a visualização do cirurgião acaba sendo limitada.

Na técnica aberta, o cirurgião tem maior visualização. A incisão é feita nas laterais e na columela (localizada entre as duas narinas, formada por pele e cartilagem) e, após a cicatrização, pode ser praticamente imperceptível. Assim, a rinoplastia aberta é realizada quando se deseja redução ou maior alteração do contorno nasal.

“A rinoplastia fechada é pouco utilizada hoje e é indicada para quando há poucas alterações estéticas a serem feitas. A aberta é indicada em casos de alterações estéticas mais significativas, quando se deseja remodelar o nariz de acordo com o planejamento feito com o paciente”, afirma o Dr. Márcio Freitas, médico e cirurgião-dentista especialista em rinoplastia.

A cirurgia é popular em todo o planeta

A cirurgia plástica do nariz é a mais procurada por pacientes do sexo feminino, com idade entre 19 e 34 anos, sendo também a mais realizada em jovens com menos de 18 anos. Segundo levantamento da Isaps (Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética), em 2020, foram realizados 87.879 procedimentos de rinoplastia no Brasil em 2020 – seguido pela Turquia e Estados Unidos. Além disso, dados da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) indicam um aumento de 25% na busca por cirurgias estéticas pelo público masculino nos últimos anos.

As regiões mais alteradas são a ponta (bola ou batata) e a altura das costas (que se destaca no perfil da pessoa). As mudanças devem acontecer de acordo com a estrutura do rosto, eventuais assimetrias, a largura do dorso, bem como o desenho da abertura das narinas.

Procurado por quem deseja melhorar a estética ou se sente desconfortável com o formato original, o procedimento não é recomendado para pacientes com doenças crônicas (como problemas cardiovasculares, obesidade e diabetes) ou que, no momento, não condições psicológicas para vivenciar essa mudança. – como, por exemplo, os diagnosticados com Transtorno Dismórfico Corporal. Por isso, é importante que o paciente tenha acompanhamento especializado e multidisciplinar, com profissionais que o auxiliam desde a decisão inicial até o término do tratamento.

Não é só estética

Além da parte estética, a rinoplastia pode ser a solução quando o paciente apresenta episódios frequentes de nariz entupido, cansaço excessivo ao realizar atividades físicas, ou até mesmo dores de cabeça – conhecida como cefaleia rinogênica.

“Todos esses sintomas podem estar relacionados a um desvio de septo. Isso acontece quando o septo (estrutura cartilaginosa que divide a cavidade nasal) não está completamente reto e acaba obstruindo um lado das narinas. Durante a cirurgia, esse desvio é corrigido”, explica o Dr. Márcio Freitas.

O médico, que é formado em medicina e também em cirurgia odontológica, fez residência médica em otorrinolaringologia, cirurgia cervicofacial e especialização em cirurgia plástica facial e funcional do nariz. “A cefaleia rinogênica, por exemplo, é uma dor de cabeça causada por um ponto de contato entre o septo e a mucosa. A rinosseptoplastia é justamente a união dessas duas necessidades, para corrigir a parte respiratória e melhorar o desconforto estético”, explica.

A cirurgia plástica do nariz é considerada por muitos como uma das mais complexas da especialidade. Além de todo o estudo, a intervenção também requer experiência técnica visual para uma adequada compreensão das estruturas e ligamentos que darão sustentação e garantirão uma boa fisiologia.

A aparência final depende de vários fatores – como o peso da pele, cicatrização, manipulação e a musculatura do rosto – e requer paciência. O inchaço pós-operatório e o peso diminuem após os primeiros 3 dias. Os pontos são retirados após cerca de uma semana e geralmente não há queixa de dor – já que o paciente faz uso de analgésicos e anti-inflamatórios. Após um mês, fica mais fácil visualizar os resultados, que se consolidam nos próximos seis meses.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*